3 de Dicas de Carreira para Novos Profissionais

Quando ministro palestras para um público que está iniciando sua carreira profissional ou freqüentando os cursos de graduação nas faculdades, muitos profissionais me perguntam sobre qual será o futuro das carreiras profissionais. Diante disso, vou destacar três tendências que as carreiras profissionais devem seguir nos próximos anos:

A valorização dos cursos de graduação de curta duração
Ainda existem empresas que menosprezam a qualificação e formação dos profissionais que cursaram cursos de graduação de curta duração, entre dois anos e dois anos de meio. Aqueles que normalmente discriminam tais profissionais, não raro, são profissionais que se formaram em cursos de graduação tradicional e se ressentem que profissionais possam ter um diploma de graduação estudando a metade do tempo que estudaram.

Por outro lado, os cursos de curta duração conseguiram eliminar o que os cursos de longa duração têm: conteúdo desnecessário. Além disso, oferecem ao profissional conteúdo prático e focado, formando profissionais que procuram uma formação específica. Outro segredo desses cursos é que eles são recheados de trabalhos acadêmicos, o que obriga o profissional a realizar diversas apresentações no decorrer dos semestres, aprimorando sua habilidade de falar em público.

Para o profissional, saliento dois fatores positivos: Primeiramente, o fator ‘tempo’, pois possibilita conseguir um diploma em pouco tempo e, quando ele começa a se cansar de estudar, acabou! Em segundo lugar, destaco a possibilidade de obter dois diplomas em quatro anos, um de graduação e uma pós-graduação num período equivalente ao que muitos levam para conseguir apenas a graduação.

Diante desses e outros fatores, acredito que o futuro será dos cursos de graduação de curta duração, limitando os cursos convencionais de quatro ou mais anos a profissões regulamentadas como engenharia, medicina e outros.

A valorização das habilidades de comunicação e apresentação
Não é de hoje que se fala sobre a importância de se comunicar bem. No entanto, uma olhada rápida nos profissionais das universidades mostra que grande parte destes está muito longe do que podemos classificar como bons apresentadores e comunicadores. É suficiente observar como esses profissionais se comportam diante do público durante as apresentações de suas idéias e resultados dos seus trabalhos acadêmicos, para notarmos como demonstram enorme nervosismo e inibição, além das dificuldades para expor pensamentos e idéias com clareza.

A habilidade da comunicação deve ser treinada desde o berço, pelos pais, quando estimulam seus filhos a exporem seus pensamentos e sentimentos, bem como corrigem e educam na melhor forma de serem compreendidos. Infelizmente, o que vemos nesse sentido é exatamente o contrário, pois muitos pais estão despreparados para ajudar seus filhos a se comunicarem bem.

Na universidade não é diferente, pois se exige que os candidatos profissionais façam apresentações, pontuando a capacidade de eles exporem suas idéias. Porém, pouco se faz para que eles recebam instrução sobre como se comunicarem adequadamente e de forma prática. Por fim, profissionais com incapacidade de conduzirem negociações e realizarem apresentações vão procurar emprego e as empresas os barram após a entrevista, mesmo que tenham boa qualificação profissional.

Portanto, a dica é: Não seja um bom comunicador e apresentador, seja excelente nesse sentido. Use o que for necessário: cursos de oratória, teatro, canto ou o que lhe ajudar. Apenas livre-se dos seus medos de falar em público e veja como obterá bons resultados. Observo resultados satisfatórios sobre aqueles que se dispuseram a fazerem cursos de aprimoramento na comunicação.

Crie oportunidades para sua vida profissional
Muito reclamam sobre oportunidades e dizem que, para eles, não surgiram oportunidades na vida. Sinto em dizer-lhe, mas as oportunidades, na maioria das vezes, são criadas por nós mesmos. Pessoas inteligentes sempre estão atentas para criarem possibilidades de negócios.

Esperar que uma grande oportunidade caia do céu em sua cabeça é um erro que muitos cometem. Ao contrário do que estes pensam, as portas não se abrem automaticamente, precisamos abri-las à força, às vezes com a ajuda de um pé-de-cabra. Precisamos olhar acima e buscar possibilidades de crescimento ao invés de ficar choramingando a situação que vivemos. Temos de fugir da perigosa ‘zona de conforto’, que nos torna profissionais medianos e incapacitados para novos desafios.

Profissionais que souberam aproveitar grandes oportunidades, não raro, estavam preparados para elas, tiveram coragem para aceitar desafios e não se acomodaram contentes com o que tinham. Diante de tudo isso, pare e pense até que ponto você está preparado, disposto e corajoso o suficiente para aceitar novos desafios profissionais. Uma promoção, uma nova conta de cliente ou um novo emprego muitas vezes esbarra em pequenos detalhes, como aquele curso de línguas que você parou, a faculdade que não terminou ou aquele novo conceito que você não aprendeu.

Parar no tempo é como entrar em estado de inatividade profissional: todo mundo vai caminhando a sua volta e você está lá, parado, achando que todas as coisas continuarão como sempre foram.
Construir uma carreira não é uma tarefa fácil, especialmente para aqueles que estão começando, mas essas dicas, se aplicadas, podem colaborar para seu sucesso profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.