A Vida Fora da Zona de Conforto

Quantas vezes você já ouviu a expressão “estar na zona de conforto”? Pois bem, essa expressão está relacionada às pessoas que se refugiam e conforma-se a uma rotina imutável e estável, quer seja no âmbito pessoal, profissional ou familiar.

Mas por que podemos dizer que a zona de conforto é tão perigosa? É porque o conforto gera a falsa impressão de que tudo está bem, quando nada na vida pode estar 100% bem. Só depois que o emprego se vai, que o relacionamento se rompe, que a doença avança é que acordamos e vemos que simplesmente paramos no tempo. Mas, na maioria das vezes é tarde de mais.

A busca pela estabilidade quer profissional, pessoal ou familiar é natural dos seres humanos, pois, se nada na vida for estável ficaremos exaustos com tantas mudanças. Por outro lado, acomodar-se numa falsa estabilidade é altamente perigoso. Portanto, temos de rever de tempos em tempos nossa vida profissional para mantermos nossa empregabilidade, nossa vida pessoal para cuidarmos da nossa saúde física, mental e espiritual e nossa vida familiar para manter a chama ativa do casamento.

A zona de conforto nos torna menos profissionais do que podemos ser, menos amados do que podemos conquistar, mais gordo do que gostaríamos estar e alcançar muito menos na vida que na verdade podemos alcançar.

As pessoas na zona de conforto criam um limite imaginário em volta de si mesmas e com isso se tornam incapazes de evoluírem a si próprias e o ambiente que estão, perdendo oportunidades de crescimento.

Por outro lado, as pessoas que fogem da zona de conforto estão revisando constantemente o “statu quo” e buscam o constante aprimoramento pessoal, alcançando degraus antes inimagináveis.

Existem aqueles que vivem na zona de conforto somente em uma faceta da vida, e que apesar de altamente evolutivos na área profissional, estão estagnados no aspecto familiar. Nestes casos, podemos dizer que as facetas da vida não se equilibram, estando desalinhada com um objetivo central. Para estes segue o principio básico do equilíbrio pessoal: Não existe sucesso profissional que compense o insucesso pessoal e familiar.

Diante de tudo isso, só nos resta nos policiar, motivar e entender que de fato a vida real é aquela fora da zona de conforto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.