O Erro que se transforma em Sucesso


Maradona, Pelé e Ronaldo, o que esses jogadores tinham em comum? Dentre outras coisas, eles protagonizaram jogadas extraordinárias em campo. Pelé, eternizado como o “Rei do Futebol”, na copa de 1970 registrou uma memorável imagem na história quando deu um drible da vaca sem tocar na bola (http://www.youtube.com/watch?v=nNc-YiUzi2g), mesmo não tendo sido convertido em gol. Lances como esse e muitos outros, protagonizados por tais jogadores são revistos exaustivamente anos depois e representa “exceção a regra” no futebol pouco criativo da maioria.


A história não registra as inúmeras jogadas que esses profissionais tentaram e que não foram bem sucedidas, mas destaca as que deram resultados muito acima da média. Isso me fez pensar na relação do erro com o sucesso, na qual só são bem sucedidos aqueles que arriscam seguidas vezes e consequentemente erram proporcionalmente. Obviamente que todos esses jogadores tinham um talento extraordinário, mas o talento por si só não seria suficiente se não houvesse a iniciativa de arriscar jogadas diferenciadas.


No ambiente profissional não é diferente. Profissionais que alcançaram um nível diferenciado reúnem características que incluem a insistência em tentativas, muitas sem sucesso, que por fim culminam em resultados extraordinários. São esses resultados que ficam registrados na história profissional. Com plena certeza, sem arriscar em diferentes situações, dificilmente você terá no seu currículo essas “jogadas extraordinárias”.


Por isso, o fato é que o sucesso vem depois do erro, porque é a soma de erros que gera acertos e a soma de acertos que se transforma em sucesso.

Pense nisso!

Anderson Hernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.