Aprenda sobre links patrocinados

Esse artigo de autoria de José Matias é muito esclarecedor sobre links patrocinados e na qual compartilho com vocês:

Com possibilidade de baixo investimento e sem fidelização ou contrato, as estratégias de divulgação com links patrocinados atraem de micro a grandes empresas. José Matias, diretor da Redsuns – agência de performance online –, esclarece  o que é ou não verdade sobre o assunto:

Links patrocinados são anúncios. Verdade. É uma forma de anunciar em buscadores e outras ferramentas com links para seu site. A ferramenta do Google para links patrocinados é o Adwords, na qual você pode se cadastrar e criar seus anúncios.

O valor investido é variável. Em partes. Você pode mudar o valor investido a qualquer momento. Mas também pode fazer a campanha parar no momento que atingir o máximo que destinou para ela. “A grande vantagem dos links patrocinados é o fato de o anunciante pagar apenas por cliques válidos. Dessa forma o anúncio só aparece se o usuário estiver buscando por seu produto ou serviço e for até o seu site. E lá, você tem a chance de converter esta visita em uma venda”, comenta Matias. Importante lembrar que, no Adwords, as palavras-chave têm uma média de custo por clique (CPC) diferente – o quanto você irá pagar cada vez que um usuário clicar no seu anúncio. Enquanto o termo “desentupidora”, em São Paulo, tem um CPC médio de R$ 52,97; a palavra-chave “floricultura” custa R$ 1,84.

Preciso de muita verba para começar. Mito. É possível começar com orçamentos baixíssimos, a partir de R$ 40 e fazer testes para ver quais anúncios recebem mais cliques, quais palavras-chaves vendem mais e com isso ir melhorando seu desempenho nesta ferramenta.

Profissionais e empresas de qualquer porte podem usar a ferramenta. Verdade. Qualquer empresa pode fazer suas campanhas em links patrocinados, desde profissionais liberais até grandes multinacionais Como os orçamentos são escaláveis praticamente qualquer um pode começar a anunciar nestas ferramentas (a mais relevante é o Google Adwords).

Basta ter um site na internet para começar. Em partes. É fato que o site é necessário para a utilização de links patrocinados, mas é imprescindível que ele tenha alguns recursos para a mensuração de resultados e, principalmente, seja claro para que haja sucesso em sua campanha. “Os links patrocinados levam o consumidor à sua página na internet, mas se o site não tiver informações adequadas, pode ser um ‘tiro no pé’. Você não irá atingir a conversão necessária para compensar o investimento”, alerta Matias.

Links patrocinados no Google substituem as propagandas no Facebook e vice-versa. Mito. O Google Adwords funciona dentro das buscas, ou seja, a pessoa tem de digitar no Google uma palavra-chave que você tenha selecionado para que seu anúncio apareça. Dessa forma seu anúncio só irá aparecer para pessoas que sabem ou imaginam o que querem, já têm uma necessidade e com isso estão em um estágio mais avançado da compra. No Facebook Ads você pode exibir seus anúncios para pessoas que nem conhecem sua empresa e não fizeram busca alguma por seus serviços ou produtos e de forma bastante segmentada. “Assim, você irá atingir estes usuários em estágios iniciais da compra, em que eles ainda talvez não tenham a necessidade. O Facebook também ajuda a promover uma empresa nova ou um novo serviço que as pessoas ainda não conhecem. No Adwords isso não se aplica, já que ninguém faria buscas por algo de que nunca ouviu falar.”

É possível mostrar a propaganda apenas para determinado público. Verdade. “Muitos não sabem da possibilidade de segmentação dos links patrocinados, por exemplo: exibir anúncios apenas para uma cidade, em determinados horários e que ainda algumas palavras devem ser negativadas. Caso você venda cursos, mas o usuário estiver procurando cursos mais a palavra ‘grátis’, você pode configurar para que seu anúncio não apareça”. Essas são ferramentas importantes para garantir que seu anúncio seja relevante para o usuário e que você não irá gastar dinheiro com cliques que não irão converter em vendas.

Os resultados são imediatos. “O Adwords gera tráfego de qualidade de forma quase imediata para seu site. Assim que o anúncio começar a ser exibido você provavelmente terá cliques e visitas; diferentemente do SEO que leva algum tempo para gerar resultados (em alguns casos), o Adwords é muito mais rápido.” Do ponto de vista de retorno financeiro, o monitoramento dos resultados é fundamental para avaliar o quanto está sendo investido para a conversão em vendas. “O próprio Adwords já gera alguns relatórios para que o cliente acompanhe os dados da sua campanha, como impressões, cliques, custo por venda (se o rastreamento de conversão estiver ativado). Com isso já é possível avaliar seu investimento na ferramenta e a agência irá buscar melhorar o desempenho e maximizar o investimento.”

Quem paga mais aparece na frente Em partes. Apesar de o leilão do Adwords funcionar por concorrência –quem dá um lance maior tem mais chance de aparecer no topo – o valor é apenas um dos fatores. “Além do valor que você está disposto a pagar por clique, o Google considera o índice de qualidade do seu site para definir a posição do seu anúncio. O índice de qualidade usa fatores do SEO e da relevância do anúncio (se tem a palavra-chave no anúncio, se direciona para uma página coerente, etc). O seu lance mais este índice é que irão melhorar ou piorar a sua posição na página de resultados da busca. Por mais barato e simples que seja o Adwords, ele ainda deve ser visto como um investimento sério e por isso, ser monitorado e otimizado constantemente”, salienta.

Cadastre-se e receba informações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.