A redução da inadimplência pode ser evitada através dos indicadores financeiros

Como os Indicadores Financeiros ajudam a reduzir a inadimplência

Você consegue estabelecer uma relação entre indicadores financeiros e inadimplência?

Quanto mais você conhece o seu negócio e as variações financeiras que podem interferir no crescimento e desenvolvimento, mais fácil será para conter ou evitar a inadimplência.

Não raro vemos empresas que decretam falência com pouco mais de três anos de funcionamento por dificuldades em manter “as portas abertas”, seja por má gestão dos processos ou agravamento da saúde financeira.

Neste post, vamos falar sobre as características dos indicadores financeiros mais utilizados no mercado e ainda avaliaremos como eles podem ajudar na redução da inadimplência!

O que são indicadores financeiros?

Definidos no mercado como métricas ou apontamentos matemáticos dos resultados de performance financeira de uma empresa, podemos dizer também que os indicadores são ferramentas essenciais para uma análise aprofundada do negócio.

Nesse sentido, o intuito dos indicadores é de visualizar a quantidade de dinheiro que circula dentro da empresa e, principalmente, verificar a qualidade dessa circulação.

As decisões financeiras podem ser tomadas através dos indicadores
Os indicadores são essenciais para decisões financeiras

Assim, a partir dessa mensuração é que se obtém informações seguras para auxiliar qualquer tomada de decisão que envolva o dinheiro.

Qual a relevância dessas ferramentas para a empresa?

A análise mais criteriosa de cada indicador financeiro possibilita a identificação de falhas processuais e a tomada de decisão adequada para corrigi-las antes que a saúde financeira da empresa seja comprometida a um nível de risco.

Dessa forma, adotar os indicadores como ferramenta de gestão beneficia e conduz a um planejamento financeiro mais enxuto e objetivo com base em número e resultados, referenciando a empresa no mercado e no segmento da marca.

Vale ressaltar que uma empresa que se preocupa em manter um negócio sustentável não deve esperar por momentos de crises ou alta da inadimplência para utilizar os indicadores financeiros.

O ideal é que sejam instaurados processos de averiguação e aplicação das métricas.

Quais os principais indicadores financeiros?

Veja agora os indicadores mais utilizados e que apresentam resultados eficientes para controle da gestão e combate à inadimplência.

Ponto de equilíbrio

Toda empresa precisa de uma receita mínima para cobrir os custos e as despesas.

Assim, o ponto de equilíbrio representa o volume de vendas que pode até não permitir que a empresa tenha lucro, mas também não amarga o prejuízo.

Esse indicador entende que é preciso analisar todos os gastos e despesas e quitar cada um deles com a receita das vendas dos produtos e serviços comercializados pela empresa.

Todos os custos e despesas devem ser identificados dentro da sua empresa
Identifique todos os custos e despesas da sua empresa

A fórmula é simples, mas capaz de produzir resultados impressionantes:

Ponto de equilíbrio = despesas fixas divididas pela margem de contribuição.

Margem de contribuição

Enquanto o ponto de equilíbrio se ocupa da receita mínima para cobrir todas as despesas em âmbito geral, a margem de contribuição acompanha os gastos fixos referentes a cada produto para determinar o que precisa ser vendido para gerar algum lucro.

A quantidade expressiva de vendas não atesta que a empresa está indo bem e tendo lucro.

Na verdade, somente o cálculo da margem de contribuição pode auxiliar na verificação dos resultados e apontar quais são os produtos de melhor rentabilidade sobre as vendas.

Veja a fórmula:

Margem de contribuição = preço – (os gastos variáveis das vendas + as despesas variáveis).

Margem de lucro bruta

Todo produto tem um custo para a empresa — seja de produção ou de aquisição para revenda —, e a margem de lucro bruta mostra os ganhos após as vendas, deduzindo os valores correspondentes a esses custos.

Se você deseja saber quanto a empresa ganha com cada venda, depois de subtrair os custos basta formular:

Margem Bruta = (receita – deduções – custos diretos variáveis) x 100.

Margem de lucro líquida

Qual é a lucratividade líquida da sua empresa? Se você deseja saber o que sobrou depois que todas as despesas e impostos foram pagos, esse é o indicador a ser utilizado.

Representado por uma fórmula simples, a margem de lucro líquida abre um campo de visão sobre o desempenho real da empresa no mercado.

Margem líquida = lucro líquido / vendas x 100.

Índice de liquidez corrente

Se por um lado desenvolver um planejamento em médio e longo prazo faz parte das prospecções de crescimento e desenvolvimento da empresa, por outro, é importante avaliar o que ela está rendendo em curto prazo e, assim, vislumbrar como ela chegará ao futuro.

O índice de liquidez corrente vai apresentar todos os recebíveis pela empresa de imediato.

Ou seja, ele traça um comparativo eficiente entre os ativos e os passivos gerados pelo negócio.

Antes de demonstrar a fórmula, precisamos entender seus componentes de base de cálculo:

  • ativo circulante: contas a receber, caixa, aplicações de curto prazo, estoques, adiantamentos;
  • passivo circulante: financiamentos, fornecedores, empréstimos, impostos em curto prazo e outros compromissos.

Logo:

Liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante

Se o resultado apurado for maior que 1, é sinal de que o capital liquidará as obrigações se for necessário. Se for igual a 1, haverá um equilíbrio entre receitas e despesas.

Porém, caso apresente um número inferior a 1, a empresa deve se preocupar, pois não ela terá saldo suficiente para arcar com as obrigações em um curto prazo.

Qual a relação entre os indicadores financeiros e inadimplência?

Se os números gerados dentro da empresa são conhecidos em totalidade, será mais fácil gerenciar a carteira de clientes, a prospecção e captação dos novos, além da taxa de inadimplência dentro de uma normalidade prevista para o negócio.

A ultrapassagem da previsibilidade pode e deve ser prevenida se os indicadores apontam deficiente na receita.

É possível mensurar o grau de inadimplência baseando-se em alguns cálculos específicos.

São eles:

  • índice de atraso geral = atraso geral / total de contas a receber x 100;
  • índice de atraso parcial = atraso parcial / total de contas a receber x 100;
  • índice contencioso = contencioso / total de contas a receber x 100.

Utilizando os índices, a inadimplência poderá ser calculada a partir dos 30 ou 60 dias de atraso da dívida, mas o ideal é que se calcule entre 90 e 180 dias para obter parâmetros mais consistentes.

Todo o acompanhamento financeiro requer uma atenção especial e voltada para o negócio.

Por isso, é fundamental verificar as contas diariamente, inserindo na rotina a aplicação de cálculos dos indicadores para garantir uma gestão mais efetiva.

Indispensável manter uma rotina para verificação das contas
A verificação das contas deve ser uma rotina indispensável

É possível realizar esses processos manualmente por meio de planilhas eletrônicas, mas se você deseja resultados mais seguros e confiáveis com verificação periódica, deve contar com um sistema de automação parametrizado para gerar informações específicas e padronizadas do seu negócio.

Um bom sistema de gestão de cobranças tem capacidade e autonomia suficientes para promover cálculos de indicadores financeiros e inadimplência ao mesmo tempo, gerando relatórios independentes ou comparativos para análise gerencial.

Se você gostou deste post sobre os indicadores financeiros e inadimplência, entre em contato com a gentepara conhecer nossas soluções e saber como podemos ajudar sua empresa na redução da inadimplência!

Artigo do autor Patrick Negri.



Deixe um comentário

  Inscreva-se  
Notificação de