O MENTORANDO QUE VIROU SÓCIO DA TACTUS CONTABILIDADE

Recentemente, realizamos uma ação muito importante: a aquisição da ACCE Contabilidade.

Para quem não sabe, a ACCE Contabilidade, é uma empresa contábil de BH que tem uma carteira com aproximadamente 300 clientes.

Agora a carteira faz parte da nossa empresa e com essa transação Bruno Lanna se tornou mais um dos sócios da Tactus.

Neste conteúdo, você vai entender quais os elementos que deve levar em consideração numa transação dessa natureza e quais os desafios que existem.

Vai entender também porque efetivamente isso pode ser estratégico para o seu negócio contábil e como pode realmente tirar proveito de toda essa informação. 

Em razão dessa mudança, agora nosso time de sócios tem 5 pessoas.

Eu, Anderson, atuo como founder de vendas, Jefferson no comercial e vendas junto com Cláudio, Fernanda na parte operacional e o Bruno veio somar na função também na área comercial de novos negócios.

Motivos para comprar uma carteira ou para se aliar a outra empresa contábil

Um fator relevante em relação a isso é a questão da capilaridade que você  pode conquistar dentro do mercado que não atua.

Na Tactus nós sempre tivemos boas oportunidades de negócio em Belo Horizonte e em toda região de Minas Gerais. Para nós sempre foi uma região muito estratégica, só que nós não tínhamos efetivamente um “pé” lá dentro.

Já há algum tempo vínhamos fazendo algumas coisas juntos, nós e o Bruno, usando a empresa até então ACCE Contabilidade, como parceira desse negócio.

Mas, a partir de agora as coisas mudam, porque em BH além de terem uma carteira já existente, nós temos um time que está operando e atendendo com conhecimento, isso possibilidades dentro de Minas Gerais, aproveitando o conhecimento regional que a ACCE já tem lá.

Conversando com o Bruno, ele observa que não é uma decisão fácil e simples, mas estrategicamente falando, necessária para levar o negócio para o nível muito maior. Principalmente com todas as mudanças que estão acontecendo no mercado contábil. 

As primeiras conversas que eu tive com Bruno, relacionada a esse assunto, começaram há 2 anos. Nessa época começamos uma parceria, que até então não existia.

Depois que identificamos a necessidade do trabalho em BH, a empresa abriu as portas, esse relacionamento foi se estreitando e a ACCE conseguiu entregar para Tactus, como parceira, aquilo que precisavam no momento.

É importante salientar que a empresa ACCE sempre fez as ações para a Tactus como se estivesse fazendo para ela mesmo.

Esse foi o fator que contou muito: o comprometimento.

Para nós, que atuamos dentro do mercado digital, há uma  dificuldade muito grande para fazer negócios em outros estados, dependendo de parceiros.

Porque, às vezes, o parceiro não tem a mesma “pegada” que nós temos e consequentemente isso pode prejudicar a nossa imagem, lá na ponta com o cliente final.

 imagem que represente mulher autoritária, cobrando algo
O cliente final não quer saber se você tem um parceiro para executar a tarefa, ele quer a entrega

Nesse ponto tivemos como vantagem a participação do Bruno, ele sempre esteve na Tactus envolvido em diversos assuntos.

De certa forma ele já entendia o que a empresa realmente

 O processo de aculturamento

Bruno sabe que a velocidade de entrega da Tactus é muito grande comparada ao serviço tradicional.

E a presença constante do Bruno na Tactus foi estrategicamente pensada, e isso não foi aberto para nenhuma outra pessoa.

Bruno sempre participou das nossas festas de confraternização dos nossos Tactus Day, um evento que promovemos a cada semestre para nossos colaboradores para alinhamento estratégico.

Isso, desde o início, o conectava com o que estávamos fazendo estrategicamente. Ele estava presente em coisas que só acontecem para nosso time, com isso criou uma conexão com o time.

 imagem que represente a confraternização de Dezembro/19 com a participação do Bruno Lanna
O Bruno não foi uma pessoa estranha para o time, construiu-se uma relação profissional e de amizade, foi uma construção passo a passo

Entre todos os benefícios, uma coisa muito importante é o know how das duas partes.

A Tactus tem um know how destacável dentro do mercado contábil na parte de execução na parte de gestão e ação de processos.

Tudo na Tactus é muito mais acelerado do que as pessoas vêm de fora.

Quem nos acompanha através das redes sociais não faz ideia do nível de profissionalismo e detalhamento de métricas que nós usamos para analisar cada detalhe.

Bruno disse que, só agora do outro lado da mesa, teve a grandeza de enxergar tudo isso.

Existe também um aspecto de adaptabilidade de todos os lados, com essa ação inicia-se um processo de adaptação.

Como um todo isso é desafiador e nós temos que estar sempre dispostos em pagar o preço de lidar com as relações.

Colocando o plano em prática

Para integrar as empresas, nós vamos lidar com muitas diferenças, pois estamos falando de dois estados, duas culturas e duas empresas completamente diferentes.

A empresa do Bruno hoje representa a Tactus há muitos anos atrás, antes que virássemos a nossa chave.

imagem que repesente aperto de mão
Bruno viu tudo que acontecia aqui, e viu que era o que ele queria para sua empresa, ele sozinho não conseguiria

É nítida a necessidade que existe de colocar para dentro pessoas estratégicas para o time, para que existam braços para aquilo que se faz necessário.

A questão da regionalização é uma coisa que eu também vejo como um desafio, porque nós temos um modo muito claro de ver as coisas e agora vamos nos deparar com o “modo de mineiro” de ver as coisas.

Alinhar esses dois modos faz uma diferença muito grande, é um desafio de aculturamento também.

Nós temos uma cultura muito forte na Tactus, nessa compra a marca Tactus se sobressai, por isso estamos migrando a marca ACCE para Tactus.

Para o aculturamento na empresa é preciso de uma estratégia, é uma questão muito séria. Esse tipo de mudança acaba impactando o time. 

O time da ACCE já tem uma familiaridade com a Tactus, as pessoas estratégicas da ACCE de uma certa forma já começaram enxergar o universo que eles gostariam de estar.

Será sim um processo que não é simples, mas, caminharemos passo a passo para essa mudança até mesmo para adaptar os clientes.

Os clientes estão acostumados a abordagem do escritório de Minas, que é mais presencial, isso vai mudar para um propósito muito maior.

Além disso é importante salientar que as grandes plataformas digitais como Monetizze e Hotmart estão situadas em MG.

A Tactus entende que é preciso dividir um pedaço do bolo para crescer  e ganhar estrategicamente aquilo que projetaram.

Em contrapartida, a ACCE acaba abrindo a mão do “bolo todo” para ter uma pequena fatia, tudo isso para poder chegar num outro nível.

Bruno optou em não ter mais 100% de um todo, que era sua empresa para ter uma pequena parcela de outro negócio que pode chegar no nível muito maior.

É uma decisão desafiadora e que daria medo em qualquer empreendedor.

Para executar qualquer estratégia desse tipo é preciso deixar alguns pontos muito claros como:

  • As condições, é preciso documentar tudo isso deixar muito previamente estabelecida as regras de governança.
  • Ser um livro aberto com as coisas que estão acontecendo sob o ponto de vista financeiro e da gestão como um todo.
  • É importante também prever em documentação a possibilidade de que algo dê errado, devem estar previamente acordadas as ações caso algo dê errado.

Eu sempre pensei muito na criação desse tipo de regra, de entrada e saída, desde que conduzia a primeira sociedade na Tactus, tudo é um processo de aprendizado.

Consolidando negócios

Essa ação que fizemos também é conhecida como Mergers and Acquisitions, é um processo natural das empresas para chegarem a outros níveis.

Desde o começo eu percebi que aquilo que nós havíamos determinado só poderia se concretizar se houvessem mais braços do outro lado da mesa.

No caso do Bruno, ele mergulha em outro universo de possibilidades e desafios de cobrança de entrega.

Bruno também entendeu que essa mudança permite que ele deixe de fazer coisas que ele não gosta dentro da contabilidade, como lidar com operacional. Nesse novo cenário a Fernanda que é especializada nesse assunto e assumirá a frente. 

É claro que ninguém consegue fazer 100% o que gosta, mas com esse tipo de estratégia é possível fazer um alinhamento daquilo que você tem mais projeção pessoal para fazer bem, o nível de entrega com isso pode ser de muito maior.

Quais os motivos para trazer um sócio para sua empresa?

Um sócio tem que vir para somar e não empatar o que já tem, não faz sentido nenhum fazer qualquer tipo de processo se você não tiver alguém que vai somar.

A questão é que você precisa de complementaridade, ou seja, você não pode trazer uma pessoa que pensa muito igual a você. Numa sociedade, é preciso ter pessoas que questionam o que você pensa e que têm habilidades que você não tem.

imagem que represente pessoas pensativas
É preciso estabelecer uma gestão onde as pessoas têm, entre o time diretivo, a possibilidade ampla de opinar e mudar

Muitas vezes, uma pequena opinião acaba mudando tudo.

Outra questão importante é o alinhamento de proposta, considere que além da pessoa complementar suas habilidades, é preciso que ela tenha um alinhamento de propósito.

Eu senti no Bruno, em todas as conversas que nós tivemos ao longo do tempo o alinhamento de propósito dele, inclusive o alinhamento de propósito pessoal.

Use o tempo ao seu favor!

No momento certo começamos a discutir de fato a questão da sociedade.

Não são decisões que você vai tomar da noite para o dia, são decisões construídas ao longo do tempo.

Considere também que o timing da situação às vezes não pode ser tão longo.

Deixe tudo claro!

É muito importante conversar muito, considerar detalhes e analisar os negócios.

Tudo tem que ser feito visando um propósito maior, esse alinhamento de proposta é muito claro entre os sócios da Tactus, todos têm esse conceito bem claro.

A Tactus está acima de tudo, esse conceito estamos trabalhando durante a anos.

Nesse processo de mudança de papéis como Bruno lidou com o desafio de se tornar uma nova pessoa como gestor, entregando resultados?

Bruno disse que o medo e ansiedade são muito grandes.

E a cada segundo que passa, ele percebe a grandiosidade do negócio que ele está entrando.

Tudo isso só o reforça como Bruno e como profissional, ele sabe que existem coisas desafiadoras a serem conquistadas.

Bruno vê isso como um grande desafio!

imagem que represente gravação entre o chefe e Bruno
O medo obviamente é natural, mas é preciso entender também o que você pode conquistar neste tipo de união é muito maior

A Tactus sabe que para chegar no seu objetivo ainda terá mais pessoas no seu time de sócios.

Geralmente as pessoas têm muito medo de dividir um pedaço do “bolo” mas é preciso entender que quem não compartilha não vai crescer, não vai evoluir, ainda mais com tudo que está acontecendo no mercado contábil.

É preciso dividir responsabilidades, dividir o risco, a mão de obra das pessoas para fazer acontecer e depois, colher em conjunto, bons resultados.

Deixe um comentário

  Inscreva-se  
Notificação de
WhatsApp chat
Telegram