Porque sem Tecnologia a Empresa Contábil vai Morrer

A tecnologia impacta fortemente a todos em todas as esferas, e há alguns anos sentimos esse impacto de forma mais dura no mercado contábil.

O nosso mercado passou por uma série de mudanças significativas e isso me fez observar o mercado e entender as novas necessidades do meu público.

Neste conteúdo vou contar um pouco a vocês sobre a minha visão em relação a essas mudanças e quais as ações necessárias para acompanhar a tecnologia e permanecer no mercado.

Transformação Digital

Em 2019 escrevi um livro “Como a tecnologia está mudando as empresa contábeis”, lancei este livro, pois pensei que o tema tecnologia, no ano de 2019, teria valor significativo, em razão do que está acontecendo no mercado contábil e a nossa volta.

O mercado contábil e a tecnologia
Livro escrito por Anderson Hernandes

Nós estamos passando por um processo de transformação digital e a importância deste processo para as empresas de contabilidade é indiscutível.

Escrevi o livro por já estar conectado dentro desse processo e perceber que ele seria um facilitador, poderia ser instrumento para que as empresas de contabilidade enxergassem esse novo universo.

O mercado contábil ainda tem uma “fama” de ser muito preso às atividades como eram no passado.

Existem empresas contábeis que ainda não evoluíram e atuam da mesma forma desde sua abertura há muitos anos eu senti que o livro podia ajudar os empresários do mercado contábil do Brasil a mudar o mindset.

O livro mostra como o empreendedor pode virar a chave da sua empresa e crescer junto com o mercado.

Contabilidade online e digital

Muita gente não entende a diferença que existe entre contabilidade online e digital, e falarei um pouco sobre cada uma delas.

O conceito de contabilidade online se fortificou no mercado através de empresas como a Contabilizei, que recebeu aportes muito altos e começou a difundir este tipo de contabilidade mais barata que a convencional dentro do mercado.

Essa divulgação trouxe ao mercado empresas como a Tactus que enxergaram nisso também uma possibilidade, e dentro do modelo online acabou criando um modelo de negócio diferente.

Na contabilidade online a empresa contábil delega ao seu cliente todo o trabalho e isso traz uma série de fatores negativos como: riscos, o cliente não sabe se está inserindo de forma correta as informações, o cliente não executa a sua função e isso justificaria a cobrança de um valor tão baixo.

Eu comecei a analisar as empresas que iniciaram a utilização deste termo e a partir disso criei uma divisão entre serviços que são feitos de forma online e serviços que são feitos de maneira digital.

Na contabilidade digital basicamente é agregado mais valor ao seu serviço do que no online.

A atração do cliente para a contabilidade online está ligada às questões relacionadas ao preço.

Já na contabilidade digital, mesmo que comparada ao serviço tradicional tenha um preço mais baixo não é tão baixo quanto o online, ele está mais ligado a um atendimento de forma digital, porém, com mais auxílio operacional humano.

Em resumo os dois fazem o atendimento do cliente utilizando a tecnologia e à distância.

Junto a essa inovação tecnológica surgiram alguns softwares e programas, e um deles é o ContaAzul.

Eu e minha empresa temos uma relação bem próxima com o ContaAzul e isso tem uma boa razão.

Percebi, com o tempo, que não podemos chegar muito longe sozinhos no mercado e com a chegada da tecnologia na contabilidade identifiquei que as empresas de software ainda estavam um pouco presas às questões tradicionalistas.

A maioria das empresas de software surgiu com um mindset voltado apenas a informatização local, que não engloba o conceito de tecnologia nas nuvens.

A tecnologia de armazenamento em nuvens trouxe uma facilidade muito grande aos processos, ela permite o acesso de documentos de qualquer dispositivo que esteja conectado com uma rede de internet.

Processos eficientes com o uso da tecnologia
A tecnologia proporcionou mais eficiência nos processos contábeis

Quando eu comecei a fazer um trabalho com o ContaAzul, há três anos atrás, eu me interessei muito pelo projeto da contabilidade em tempo real, o Conta Azul +.

Dentro desse processo eu percebi que essa tecnologia poderia ajudar não somente o meu trabalho, mas também o trabalho dos meus alunos e do meu público.

Então criamos uma relação muito interessante, que nos proporciona ações conjuntas positivas.

Criamos uma rede de apoio bilateral, colaboramos um com o outro, somos usuários do sistema e ajudamos outras empresas contábeis na utilização deste sistema.

O mercado contábil vai mudar independente do trabalho do Conta Azul, mas em minha opinião, eles estão a frente deste processo em razão da quantidade de empresas contábeis que já estão alinhadas com o sistema, sua quantidade de clientes, possibilidades de adesão por empresas que precisam de sistema, mas obviamente outras empresas de software vão colaborar com essa transformação.

Na Tactus fazemos o uso de muitas tecnologias que automatizam os nossos processos como o CRM de vendas que é utilizado no processo inicial desde o momento que o cliente tem contato com o nosso site usamos ferramentas para análise para ranquear o contato, utilizamos também um sistema de gestão de processos, sistemas de automatização de atendimento de rotinas.

Acesso a informações de maneira mais rápida através da tecnologia
Comunicação e troca de informações em curto período de tempo com o uso da tecnologia

Buscamos a cada dia mais automatizar as rotinas repetitivas, hoje é possível gerar centenas de fechamentos tributários de clientes em minutos, pró-labore entre outros, o que era impensável de fazer manualmente.

Esses arquivos, depois de gerados, são direcionados a um repositório e esse repositório distribui e identifica qual o cliente, o documento, cria um processo automatizado de envio para o cliente e monitora o protocolo do cliente.

Utilizamos a automação para este tipo de atividade.

Essa automação aumentou a rentabilidade das empresas contábeis de forma significativa, mas podemos identificar claramente que nem todas as empresas aderiram ao uso da tecnologia.

Ainda temos empresas totalmente tradicionais, mas lidamos com um tipo de cliente que está sendo impactado pela tecnologia na forma que ele consome produtos e serviços diariamente.

A utilização de redes sociais não para de crescer e a forma como nosso cliente tem acesso à informação está mudando também.

O cliente deixa de obter informações na TV, por exemplo, e parte para o youtube e outras plataformas de vídeo.

O nosso cliente está se acostumando a aprender à distância, a consumir produtos de forma online por aplicativos, é um tipo de cliente completamente diferente de 10 anos atrás e não podemos atender mais ao mercado como antes, senão corremos o sério risco de ficar fora dele.

Transformação na contabilidade

Se a empresa contábil ainda não iniciou um processo de transformação deve fazer, e isso pode ser feito de maneira progressiva, que é a mais aconselhada.

E empresas como a Tactus, junto a outras que já aderiram a tecnologia neste mercado, estão ganhando competitividade na execução dos processos internos, o que coloca as empresas que ainda não aderiram a mudança muito atrás dela.

É claro que a contabilidade online não será a única forma de atender o mercado. Sempre haverá clientes que não querem ser atendidos à distância ainda que introduza na prestação de serviços às suas “digitais”.

Quando o cliente consegue falar contigo via whatsapp, quando você consegue fazer com que ele mande um documento por e-mail, gradativamente, ele está sendo inserido no atendimento digital, de forma branda mas está.

Quando um cliente não quer ser atendido por uma empresa 100% digital como a nossa, nós abrimos mão desse cliente, pois, não faz sentido para o nosso modelo de negócio.

Se a empresa atender somente de forma tradicional, com a diminuição deste tipo de clientes no mercado, terá provavelmente problemas, pois cada dia mais as pessoas buscam este tipo de serviço, e não há mais como voltar atrás.

E a tecnologia acaba sendo uma ameaça, de certo modo, para as empresas contábeis e para os profissionais dessas empresas.

Digo isso, pois, os profissionais que só sabem fazer as rotinas contábeis, não conseguem agregar valor na análise da informação e não falam com o cliente também estão sob ameaça: tudo que é rotineiro será feito por um sistema automatizado e por inteligência artificial.

Hoje focamos perder menos tempo com funções repetitivas e produzir coisas de maior valor.

Podemos encontrar muitas empresas no mercado se intitulam como empresas online mas não tem algumas características necessárias.

Entre as características é preciso que a empresa: atenda seu cliente à distância, 100% online e tenha um negócio escalável, utilizando processos automatizados.

Acaba sendo confortável para algumas empresas se intitularem como empresas online, mas é preciso saber diferenciar.

Muita gente me pergunta se é mais fácil criar uma empresa de forma online ou tradicional, e a resposta é: tradicional.

No modelo tradicional o contador vai abrir uma sala, começar a atender pessoas e ser indicado, é um processo simples.

Já no modelo online é preciso ter domínio de:

  • Ferramentas;
  • Estratégia de internet;
  • Escalabilidade de negócio;
  • Processo de influência à distância;
  • Concorrência e etc.

No modelo online é preciso mostrar a todo o tempo seus diferenciais aos clientes, em contrapartida a isso não é possível chegar a escalabilidade do negócio online com o modelo  tradicional, depois que você domina a “máquina” de aquisição de clientes sua empresa segue em crescimento.

E como tracionar clientes?

Existem diferentes fases, a fase inicial é a de processo de validação do seu produto no mercado. Cada empresa trabalha com um tipo de negócio diferente que deve ser validado.

Feito isso chega-se a um produto viável e parte para o processo de escala.

A escala vai acontecer efetivamente quando você define uma máquina de vendas, quando consegue criar uma máquina que você sabe que investe e tem resultado.

Conseguimos hoje enxergar e fazer uma previsibilidade de quantos clientes teremos até o final do ano porque encontramos uma máquina de vendas. Quando chega nesse patamar você tem um negócio escalável.

Eu recentemente criei um programa de “Contabilidade online digital”, que tem como objetivo dar acesso aos alunos ao que fazemos na Tactus na prática e aos conceitos aplicados a empresas startups que levaram as empresas a performarem nas suas áreas, adaptados ao mercado contábil.

O que vemos na nossa empresa contábil é uma pequena startup, e nós pegamos esses conceitos e aplicamos na nossa empresa. Esses conceitos que validamos estamos ensinando dentro do programa.

Com o programa objetivamos, ao mesmo tempo, mostrar onde erramos para que o aluno não cometa os mesmos erros, o onde acertamos para que ele tenha como benchmarking para que ele possa aplicar no mercado dele.

Trata-se de um “atalho” que eu não tive quando comecei. Tracei meu caminho, de certa forma sozinho, nessa área usando a Tactus como laboratório e minhas experiências arcando com erros e acertos.

Mesmo depois de fazer esse programa o aluno precisa de mais, o aprendizado é um processo contínuo que não pode parar, a tecnologia traz mudanças constantes e muito rápidas para o mercado.

Dentro dos meus programas eu tenho também o de “mentoria” e esse programa foi idealizado para que o aluno tivesse mais do meu tempo, que é escasso.

Num programa presencial, na nossa escola de negócios, conseguimos atender por turma 27 alunos. Durante aquele tempo esses empreendedores têm acesso a mim e no que eu posso ajudar.

Já no meu programa de mentoria o empreendedor tem acesso completo a mim, pode compartilhar as suas dúvidas, o que ele precisa, pedir orientação, eu faço o papel de um mentor de fato e conheço com profundidade cada um dos meus mentorandos, e com base nisso sei como posso contribuir e buscar coisas para ajudá-los.

Tenho encontros mensais online, que contém uma temática aplicada ao momento e também nos encontramos pessoalmente conforme a necessidade do mentorando.

Para fazer parte do programa de mentoria há um processo de seleção. O mentorando tem que ser alguém que eu tenha algum tipo de afinidade.

Deve haver uma sinergia entre a minha possibilidade de ajudar e o momento que a pessoa está passando e ela “está pronta” para receber ajuda.

Se o mentorando não estiver engajado e disposto meu trabalho não faz sentido, pois ele não vai performar.

Se você ainda não começou a fazer um trabalho efetivo de mudança na sua empresa ainda é possível uma saída.

As coisas evoluem de modo significativo, mas ainda há tempo de entrar neste meio, aprender como a tecnologia pode te ajudar e como você pode transformar a sua empresa contábil.

Daqui a poucos anos, se não tiver feito nada, a situação pode ser irreversível é preciso começar o quanto antes a fazer a diferença.

O empreendedor tem que buscar orientação e correr atrás, pois isso fará grande diferença.

Hoje obter essa informação é possível de muitas formas, além de meus conteúdos, muitas empresas estão colaborando com informações, o mercado está muito mais consciente.

Mesmo com essa essa realidade se olharmos para o universo das empresas contábeis (quase 100 mil empresas) podemos perceber que apenas uma parcela pequena de fato está sendo impactada.

Por isso, muitas empresas acreditam que não vai acontecer nada, que nada vai mudar, mas não é bem assim.

Esta mudança está além da nossa própria vontade.

Não há como impedir o que surge diariamente e a forma como as pessoas estão tratando o uso da tecnologia, ninguém pode parar as plataformas ou redes sociais.

O empreendedor tem que enxergar que existem dois caminhos: evoluir junto com esse processo ou simplesmente sair do mercado.

Deixe um comentário

  Inscreva-se  
Notificação de