Vamos abordar sobre a forma como mudamos a percepção do universo contábil que temos sobre o código de vestimenta ao longo do tempo, dicas de saúde e disciplina para atingir objetivos pessoais e também profissionais.

A REINVENÇÃO DO PROFISSIONAL CONTÁBIL

Muita gente busca caminhos para iniciar uma contabilidade digital, conquistar liberdade e lucratividade no seu negócio contábil.

Conheço o Professor Edgar Madruga há algum tempo e um dos nossos comentários foi que ao longo desse tempo a minha comunicação mudou, isto porque o meu negócio é descomplicado.

A Tactus Contabilidade Digital mudou muito, saindo de uma empresa contábil tradicional para uma empresa que é muito descolada.

imagem que represente equipe da Tactus Contabilidade
Na Tactus os funcionários podem escolher a roupa que desejam vestir para trabalhar

Um dos pontos que mudou muito com o tempo foi o código de vestimenta, pelo menos agora não uso mais terno e gravata em nenhuma ocasião de palestra ou eventos para o mercado.

O Edgar passou por situações semelhantes a minha em relação a Covid-19, assim como eu, foi determinante mudar os hábitos de vida e se tornar completamente disciplinado.

Quando acontece algum problema relacionado à saúde a gente acaba virando a chave e é difícil ser disciplinado em tudo na vida.

Mas, isso é um processo de autoconhecimento, você pode ter uma capa de superação e nem conhecer. 

A busca pelo crescimento

Agora falando do seu negócio, existem muitas coisas que mesmo que você não goste, terá que ser feita. Mas, coloque amor em tudo que fizer, é importante dar o seu melhor sempre na vida em tudo.

É muito importante que você estabeleça propósitos da sua vida.

Talvez o grande segredo da vida seja tomar decisões e fazer com que as coisas aconteçam na prática, mesmo quando a gente não está no melhor humor, faz uma diferença gigante!

O convidado começou a sua vida como professor, depois assumiu uma coordenação de Pós-graduação, trabalhou durante cinco anos e montou um curso de sucesso na área tributária.

Ele atribui um dos sucessos do material a forma prática de entrega, isto porque ele sempre ensinou as coisas na prática.

imagem que represente gravação de podcast
No geral as pessoas estão presas em rotinas e não estão “saindo da caixa”

Ele defende que o empreendedorismo e o trabalho contábil tem a necessidade de se reinventar.

Esse mercado está em ebulição, as pessoas estão desesperadas por crescimento.

A maioria dos empreendedores nunca enxergou a contabilidade como um negócio e só está fazendo isso agora.

Vendas na contabilidade

Existem pessoas que estão vendendo há muito tempo e não imaginam que estão fazendo processo de venda.

Ao ser um empreendedor contábil qualquer um tem que vender, caso contrário seu negócio não sai do lugar.

Mesmo quando se trata de um cliente com origem de uma indicação, de qualquer maneira está fazendo uma venda e as pessoas não se dão conta de que estão vendendo.

imagem que represente turma de alunos Anderson Hernandes
Alguns dos meus alunos dos cursos de vendas entraram na minha sala e disseram que nunca tinha vendido na vida

É essencial explicar que ele pode não vender de uma forma estruturada, mas ele vende e por outro lado existe um total desconhecimento do que pode ser feito, em termos de vendas.

Tecnologia e atualização profissional

Existe um mercado carente sobre determinadas verticais de assuntos na contabilidade.

De modo geral, o profissional aprendeu a fazer o básico numa graduação.

Montou-se o mercado onde ele conseguiu prospectar clientes de forma simples, com amigos.

Tudo surgiu da indicação natural de clientes, mas o contador não se atualizou com as novas formas de fazer o que ele fazia antes.

imagem que represente avanço tecnológico
As coisas do mercado contábil evoluíram de uma forma absurda e em vários pontos simultâneos

Muita gente não conseguiu acompanhar esse processo de evolução.

O contador estava acostumado a servir o físico, hoje acabou se tornando um pouco secundário.

A tecnologia na contabilidade faz com que enxerguemos plenamente através de novos conceitos.

Hoje temos acesso a tudo, todos os controles e cartórios, antigamente tudo era tudo no papel.

Essas tecnologias estão sendo disponibilizadas também para o fisco e tudo é questão de tempo.

A corrida contra o tempo

Algumas coisas que ele previa que aconteceria daqui 15 anos estão acontecendo, outras estão levando um pouco mais de tempo .

A contabilidade é uma corrida… Temos:

Primeiro pelotão: empresas que estão muito à frente foram investidas;

Segundo pelotão: pessoas que estão correndo atrás com seus próprios recursos, assim como a Tactus Contabilidade Digital.

Terceiro pelotão: empresas que estão um pouco mais lentas mas ainda vão chegar lá

Quarto pelotão: pessoas que estão muito atrasadas, a corrida vai acabar e elas não terão chance de chegar na metade da corrida.

Qual pelotão você considera que sua empresa está? Pense nisso!

Um dos modos de ganhar essa corrida é apostando na produtividade. Todo mundo quer crescer, evoluir e chegar aos seus sonhos.

É muito importante para o contador que quer ficar no mercado parar e focar em fazer o que o robô faz.

Coloque na sua cabeça: qualquer atividade que for repetitiva, um robô fará melhor que você.

A visão consultiva depende de você ter o controle da informação, capacidade de análise e de vender isso para o seu cliente.

Entenda que a tecnologia é sua aliada.

Busca pelo conhecimento

Perguntei ao convidado se o profissional que sai da graduação hoje tem a visão para executar esse tipo de função mais consultiva?

Olhando para o passado, até 1950 a universidade no seu sentido filosófico, ou seja, era o repositório do conhecimento.
As pessoas iam à universidade pois o conhecimento estava ali. Depois desse novo mundo que estamos vivendo, todo o conhecimento não está mais restrito a esse corpo fechado, a universidade não é mais a fonte completa de conhecimento.

É possível falar, sem medo, que 100% do conhecimento que eu preciso está na internet.

imagem que represente professor ensinando conteúdo
O papel do professor hoje é construir e estimular através de um pensamento a pessoa andar para frente

Uma boa universidade estimula o papel interno do ser humano, que é o conhecimento, essa é uma porta que se abre por dentro.

O papel de uma faculdade é fazer você “aprender a aprender”, lembrando que o conhecimento é mutável e permanente.

O professor está ali para ensinar você a descobrir o método para aprender assuntos variados.

O papel do educador numa instituição formal é ensinar a pessoa a ter o pensamento crítico de evoluir, assim o aluno vai entender que não importa o cenário, ele vai continuar pegando tudo e transformando.

As coisas vão mudar e será preciso evoluir e sabemos claramente que o profissional contábil não sai pronto da universidade.

O fator de estímulo hoje talvez seja o papel principal e hoje a formalidade atrapalha isso.

O conhecimento está aí, mas criar esse pensamento crítico envolve horas de estudo.

O Professor Edgar diz que quanto mais olha para a contabilidade, mais ele enxerga oportunidades.

Todos vão lá, e o contador tem o poder da informação.

Ele acredita que muita gente sairá do mercado por falta de qualificação, ainda que haja várias maneiras de obter qualificação.

Você pode comprar isso de terceiros contratando um profissional ou pode ir atrás de um conhecimento para que venda esse conhecimento e gere sua empregabilidade para terceiros.

A única certeza é que na contabilidade haverá uma concentração fortíssima nos próximos anos.

E tenha uma certeza: o conhecimento transforma uma pessoa.

Tudo no final das contas é conhecimento e antes era produto.

No futuro não será mais importante o produto físico, sim a tecnologia ou serviço.

Num mundo que está se tornando totalmente material, o valor está na imaterialidade.

Se não trabalharmos o nosso maior poder diferencial que é o conhecimento, o que vai nos restar?

O mercado tem uma carência muito grande de gente do bem, qualificada, com propósito e que quer entregar mais.

Hoje muita gente acaba sendo negativa! Constroem coisas legais mas não conseguem ter uma visão empreendedora sobre aquilo.

O Edgar dá uma aula de empreendedorismo mostrando que existe muito mais envolvido nesse assunto.

Ele enxerga que hoje a nova dor é essa, o conhecimento é uma commodity.

É essencial saber transformar esse conhecimento em produto, trabalhando esse outro lado.

Para ter acesso ao conhecimento as pessoas pagam um preço, seja ele financeiro ou tempo. Quando eles recebem, querem esse produto “embalado” fazendo jus ao que estão pagando.

As pessoas querem o glamour mas esquecem o caminho para chegar até lá.

Não se iluda, o caminho para o empreendedorismo não é fácil, mas é possível!

Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário para nós e continue acessando outros artigos para ter acesso ao conhecimento.

5 1 vote
Avaliação do artigo
Inscreva-se
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

CADASTRE-SE E RECEBA

E-book Marketing Contábil 2.0 e o E-book 41 Técnicas de Negociação para Contadores